Blog

Tudo sobre culturas de inverno: características, benefícios, produtividade e como se preparar

Cultura-de-Inverno

As culturas de inverno – também chamadas de culturas de entressafra — podem ser bem vantajosas ao produtor rural. Isso porque, além de deixarem a terra mais fértil, também inibem a multiplicação de microrganismos patogênicos e reduzem a incidência de plantas daninhas

Além disso, essas culturas também são uma forma de garantir a renda dos produtores rurais mesmo em períodos de baixa temperatura, que dificultam o trabalho na lavoura.

Leia também: O solo e a importância da matéria orgânica para a produtividade

Quer entender melhor sobre as culturas de inverno? Continue a leitura e veja:

  • Principais culturas de inverno por região do país
  • Importância das culturas de inverno
  • Melhores adubos para as culturas de inverno

Principais culturas de inverno por região do país

 

Veja como as culturas de inverno podem ser exploradas em cada região do Brasil:

Regiões Norte e Nordeste

As regiões Norte e Nordeste são conhecidas por temperaturas altas o ano todo, se compararmos com outros lugares do país. Nestas localizações, a temperatura varia entre 18°C e 36°C em média.

Por esse motivo, a estiagem é predominante e os índices de chuva são baixos. Por esses motivos, os produtores rurais dessas regiões devem plantar culturas de inverno que toleram temperaturas mais quentes e que não exigem tanta irrigação.

Leia também: Irrigação por pivô para grandes culturas: entenda tudo sobre essa técnica

Para os agricultores do Nordeste, nós recomendamos que no inverno sejam cultivadas alface, abóbora, cenoura, coentro, espinafre e salsa. Aqueles que trabalham na região Norte devem investir em cenoura, feijão-vagem, melancia, melão, morango e repolho.

Região Centro-Oeste

As principais culturas de inverno para o Centro-Oeste são:

  • Cambre
  • Milho
  • Feijão
  • Canola
  • Girassol 
  • Variedade de trigo
  • Sorgo
  • Aveia

Mas, entre essas, a que melhor se adapta ainda é a aveia, uma vez que ela resiste melhor à seca da região. As temperaturas nesta região variam bastante: podem chegar a cerca de 40 °C nos meses mais quentes e 15 °C nos meses mais frios.

Região Sudeste

Na região Sudeste, as temperaturas não são tão baixas quanto no Sul do país. Essa é uma vantagem para agricultores que desejam plantar variedades de trigo mais resistentes ao calor. No geral, as culturas de inverno desta região são as mesmas do Centro-Oeste.

Leia também: Seguro agrícola: saiba o porquê você precisa proteger sua safra

Região Sul

Esta é a região mais fria do país. Inclusive, no inverno, há a possibilidade de ocorrência de neve e geada. 

Em virtude da proximidade com o trópico de Capricórnio, o Sul é a região com maior amplitude térmica. Em média, o clima nesta região varia entre 14 e 22 ºC. Mas, em alguns invernos rigorosos, é comum encontrarmos temperaturas abaixo de zero.

Por esse motivo, os agricultores devem escolher culturas de inverno super resistentes ao frio, entre elas:

  • Aveia
  • Centeio
  • Girassol
  • Cevada
  • Triticale 
  • Trigo

Leia também: Saiba mais sobre a cigarrinha do milho: a nova praga que atinge plantações

Agora que você já conhece um pouco das especificidades de cada região, confira um pouco da produtividade das principais culturas de inverno que citamos acima:

 

Tabela de produtividade média das principais culturas de inverno no Brasil

 

Culturas Produtividade média (kg/ha)
Trigo 3500
Centeio 2200
Cevada 3700
Triticale 4000
Aveia 2200
Girassol 1500
Canola 180

 

Obs.: Em relação a tabela acima, observa-se que ocorre um aumento substancial de

produtividade em áreas irrigadas.

 

Importância das culturas de inverno

 

As culturas de inverno têm uma importância econômica certamente menor do que as de verão, entretanto, ainda são importantes para que alguns produtores rurais consigam ter mais estabilidade financeira

Até porque, se a cultura tiver potencial de comercialização, esse cultivo vai equilibrar o caixa do produtor rural, que normalmente fica em baixa no inverno. 

Mas a principal importância dessas culturas diz respeito à manutenção do sistema de produção. Elas ajudam a proteger o solo neste período de temperaturas mais baixas, diminuindo a infestação de ervas daninhas e doenças na área cultivada e mantendo a estrutura do solo protegida da erosão, principalmente em anos muito chuvosos. 

Leia também: Análise de solo e sua importância para alcançar alta produtividade

Além disso, as culturas de inverno possuem um alto residual nutricional para as culturas de verão subsequentes, diminuindo os gastos com adubação na lavoura. 

Inclusive, é comprovado que a melhor safra de verão é aquela que passa por um preparo durante o inverno. Ou seja, para ter maior produtividade na sua lavoura, você vai precisar apostar na diversificação de culturas, tanto no inverno quanto no verão. 

Alguns estudos conduzidos pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) comprovam isso. A empresa descobriu que a produção de soja é mais produtiva quando se pratica a cultura de inverno no mesmo solo, em vez do pousio — ou seja, período em que a terra fica em “repouso”, sem nenhuma cultura. 

Esses estudos também indicam que as terras que foram trabalhadas durante o inverno tiveram uma significativa redução na infestação de plantas invasoras, infestação de pragas e perda de nutrientes no solo. Além de tudo, o agricultor pode economizar com pulverização.

Veja mais alguns benefícios de investir nas culturas de inverno:

  • Quebrar ciclo de pragas
  • Entregar mais nutrientes para o solo
  • Redução na utilização de defensivos
  • Deixar a palhada no campo após a colheita
  • Melhorar as relações físico-químicas do solo

 

Melhores adubos para as culturas de inverno

 

A adubação orgânica vem sendo utilizada já há um bom tempo nas culturas de inverno. Não é à toa, uma vez que ela diminui a infestação de ervas daninhas e a incidência de pragas e doenças nas culturas. Além disso, a adubação orgânica também auxilia na descompactação do solo, melhora a estruturação e a circulação de ar e de água na terra.

A maior prova disso são os adubos orgânicos da Adubasul!

Leia também: Como encontrar o melhor fornecedor de fertilizantes para sua lavoura?

No caso do fertilizante Orgânico Plus Adubasul, o uso é muito recorrente na cultura do trigo. Inúmeros clientes da nossa empresa que usaram esse produto em áreas por um período de 3 a 4 anos, afirmam ter reduzido em até 40% a necessidade de adubos químicos. 

Outros casos de redução considerável de adubação química ocorreram onde as análises de solo apresentaram saturação de base acima de 70%, pH acima 5,5 e fósforo e potássio com níveis muito elevados. Assim, pudemos diminuir significativamente o custo de produção.

Em culturas como a aveia preta, que é muito utilizada como cobertura de solo no período do inverno, o fertilizante Orgânico Plus aplicado via incorporação ou em cobertura, produziu uma quantidade significativa de matéria seca. 

Além disso, dependendo da dose aplicada, é possível eliminar o uso de adubação química nitrogenada na área, deixando ainda um grande residual para a cultura de verão que virá posteriormente. 

Leia também: Ciclo do nitrogênio e seu impacto na produtividade

Além da nutrição promovida pelo fertilizante de alta qualidade, a melhora na capacidade em aumentar a CTC do solo diminui a perda de nutrientes por lixiviação e, assim, eleva a retenção de água, fazendo com que a cultura suporte por mais tempo períodos curtos de estresse hídrico.

Se você atua com as culturas de verão e inverno, aposte em adubos orgânicos de alta performance. 

Isso porque, aplicando o manejo de forma correta nas culturas de inverno, principalmente utilizado no controle de ervas daninhas e quebra do ciclo reprodutivo de diversas pragas, você vai conseguir favorecer muito o controle desses problemas nas culturas de verão, aumentando a eficiência produtiva da área.

O melhor custo-benefício para culturas de verão e inverno você encontra aqui, na Adubasul. Nossos fertilizantes contam com as maiores garantias nutricionais do mercado e matéria-prima orgânica rica em macro e micronutrientes. 

Além disso, somos certificados pelo IBD (Associação de Certificação Instituto Biodinâmico) como a única indústria de fertilizantes do Brasil que utiliza apenas esterco de peru. Não utilizamos outros dejetos – resíduos de frigoríficos, incubadoras, dejetos de suínos ou outros.

Produtor rural, nós estamos comprometidos com sua lavoura em todas as estações do ano!

Quer saber mais? Entre em contato conosco!

 

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Veja Também