Blog

Conheça mais sobre a citricultura no Brasil

informacoes-importantes-citricultura-brasil

Muito além da laranja, principal cultura deste segmento, a citricultura é uma atividade que tem gerado excelentes resultados para os produtores. No entanto, a cada dia que passa, torna-se um desafio ainda maior aumentar sua produtividade

Por isso, conhecer mais sobre a citricultura, sua história, seus números e seu panorama no Brasil é essencial para entender a melhor forma de cultivo, as tecnologias que podem ser parceiras, entre outros pontos. 

Continue a leitura e saiba mais sobre esse cultivo! 

História da citricultura no Brasil

Com mais de 500 anos, alinhada à história do nosso país, a citricultura chegou junto aos colonizadores portugueses. 

Com abundância de condições de cultivo, as sementes de laranja doce ganharam vida, tendo frutos de excelente qualidade. No entanto, em termos de produção comercial, a citricultura somente ganhou tração a partir de 1930. 

É daqui em diante que se começa a compreender os fatores que realmente impactam no sucesso da cultura, como boas práticas de melhoramento do solo através de análises e pesquisas. 

Sobre a citricultura no Brasil

A citricultura brasileira apresenta números grandiosos, com 592 mil ha de laranja, 56 mil ha de limão e 52 mil ha de tangerina aproximadamente. Assim, atualmente, nosso país é reconhecido como o maior exportador de suco de laranja do mundo e maior produtor da fruta.

Este segmento oferece grande contribuição para a economia do país e os estados que se destacam na atividade são, em primeiro lugar, São Paulo e, na sequência, Minas Gerais, Paraná e Bahia.

Com a pandemia do Coronavírus, a busca por alimentos naturais e saudáveis tem crescido exponencialmente, aumentando o consumo de frutas e sucos, o que traz benefícios diretos para a citricultura

A cultura dos citros desenvolve-se melhor em solos com textura média, de proporção equilibrada entre areia e argila, onde existe uma maior aeração, retenção e drenagem de água. Nessas condições, há boa capacidade de fixação de nutrientes.

A preferência é por solos com, no mínimo, 1 metro de profundidade para melhorar sua sustentação e expansão das raízes. O pH ideal para cultura é entre 6 e 7. 

Várias regiões produtoras não possuem essas características, nos quais surge a necessidade de melhorias, como a aplicação de matéria orgânica no solo, aumento do pH através da adição de corretivos de acidez tanto na cova de plantio quanto em superfície. 

Utiliza-se também a gessagem para atingir maiores profundidades de solo, levando – principalmente enxofre e cálcio – para as raízes mais profundas.

Adubação orgânica e a citricultura 

A adubação orgânica na citricultura vem propiciando aumento de produtividade, impactando na melhoria das condições estruturais e químicas do solo e da sua Capacidade de Troca Catiônica (CTC) e, por consequência, diminuindo a lixiviação de nutrientes em pomares estabelecidos em áreas com solos mais arenosos, principalmente do potássio, que é um nutriente fundamental no enchimento e no aumento do teor de açúcares no fruto. 

Na utilização dos fertilizantes orgânicos Adubasul, que apresentam alta CTC e todos nutrientes essenciais para a cultura, observou-se: 

– Diminuição no abortamento de flores;

– Aumento de área fotossintética;

– Aumente e melhoramento da qualidade dos frutos. 

Com sua aplicação, a área vai atingir uma maior capacidade de campo, ou seja, melhor retenção de umidade, diminuindo o stress hídrico que ocorre nos períodos mais secos.

Vale ressaltar que a produtividade também sofre interferência do fator genético, que vai resultar na escolha de variedades mais produtivas e resistentes a doenças e pragas, bem como a utilização de um bom porta enxerto, o que reduz principalmente os problemas causados por patógenos do solo

Hoje a principal doença que aflige os citricultores é o greening, o qual tem como agente causal uma bactéria chamada Candidatus liberibacter asiaticus, transmitida pelo inseto psilídeo, o Diaphorina citri, presente em 99% das plantas doentes no Brasil, que infecta a cultura no período de brotação. 

Seu controle ocorre através do plantio de mudas sadias, retirada das plantas contaminadas e do controle do psílideo. Para realização dessa análise e encaminhamento dessas ações, é importante a avaliação e consultoria de um engenheiro agrônomo.

A citricultura tem ganhado espaço e tem grande potencial de sucesso: boas práticas e conhecimento são a grande chave para alcançar excelentes resultados!

 

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Veja Também